Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Tarifa Branca

​​FAQ

O que é a Tarifa Branca?

A Tarifa Branca é uma nova opção tarifária que sinaliza aos clientes a variação do valor da energia conforme o dia e o horário do consumo. Ela é oferecida para as unidades consumidoras que são atendidas em baixa tensão (127, 220, 380 ou 440 Volts), denominadas de grupo B. Com a Tarifa Branca, o cliente passa a ter possibilidade de pagar valores diferentes em função da hora e do dia da semana.​

Como vai funcionar a Tarifa Branca?
Cada cliente interessado deverá solicitar a adesão pelos canais formais de atendimento. Confirmada a adesão pela distribuidora, é instalado o novo medidor na unidade consumidora*. A partir desta instalação, a leitura de consumo é verificada nos três horários: ponta, intermediário e fora ponta e demostrados com seus respectivos valores de pagamento na conta de energia.

*Necessário que o padrão esteja adequado ao novo medidor de energia.
Quando a Tarifa Branca irá entrar em vigência?

Existe um cronograma de adesão a Tarifa Branca, de modo a priorizar as solicitações com as seguintes características:
1º de janeiro de 2018, para novas ligações e para unidades consumidoras com média anual de consumo mensal superior a 500 kW/h*;
1º de janeiro de 2019 para unidades consumidoras com média anual de consumo mensal superior a 250 kW/h*;
1º de janeiro de 2020 para todas as unidades consumidoras*.

​*Com exceção dos clientes baixa renda, iluminação pública e faturados na modalidade de pré-pagamento.

Como saber quando optar pela Tarifa Branca?

A Tarifa Branca é a melhor opção para clientes atendidos em baixa tensão que tenham ou que possam ter grande parte de seu consumo concentrado nos períodos fora de ponta, lembrando que, em finais de semana e feriados nacionais oficiais, todas as horas do dia são consideradas fora de ponta. 

Comparada com a Tarifa Convencional, a Tarifa Branca pode resultar em redução na conta de luz dos clientes na medida em que houver possibilidade de deslocar o consumo de energia elétrica do período de ponta para o de fora de ponta (dependendo da relação entre os valores da Tarifa Branca fora de ponta e o valor da Tarifa Convencional). 

Se optar pela Tarifa Branca, o ciente tem que ser disciplinado no gerenciamento de seu consumo, pois o horário de utilização da energia é fundamental para a economia na conta de luz. Caso não consiga evitar o consumo no horário de ponta, a adesão à Tarifa Branca pode resultar em uma conta maior: nessa situação, é mais vantajoso continuar na Tarifa Convencional.​
Em quais situações é vantajoso a migração para a Tarifa Branca?

Antes de optar pela Tarifa Branca, é preciso fazer uma análise dos hábitos de utilização e consumo da energia elétrica ao longo do dia.

Para os clientes residenciais, os aparelhos elétricos que mais contribuem com o consumo de energia são os chuveiros elétricos e os equipamentos como ar-condicionado, aquecedores e ferro de passar. Por apresentarem um elevado consumo de energia, em comparação com os demais eletrodomésticos, a possibilidade de utilizá-los nos períodos de fora de ponta será fundamental para definir se a adesão à Tarifa Branca.
Quando posso aderir?

Como foi regulamentado na Resolução Normativa nº 733/2016, a adesão poderá ser solicitada a partir de 1º de janeiro de 2018. Contudo, existe um cronograma de preferência, de modo a priorizar as solicitações com as seguintes características:

  • 1º de janeiro de 2018, para novas ligações e para unidades consumidoras com média anual de consumo mensal superior a 500 kW/h*;

  • 1º de janeiro de 2019 para unidades consumidoras com média anual de consumo mensal superior a 250 kW/h*;

  • 1º de janeiro de 2020 para todas as unidades consumidoras*.

*Com exceção dos clientes baixa renda, iluminação pública e faturada na modalidade de pré-pagamento. ​

Existe um valor para a adesão?

Não há custo para adesão. Entretanto é de responsabilidade do cliente a adequação de seu padrão de medição conforme novos padrões da distribuidora para a instalação dos medidores para esta tarifa.

Quais são os três horários da Tarifa Branca para as distribuidoras do Grupo CPFL?

  • Horário de Ponta

              CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz e RGE - 18h00 às 20h59

     
  • Horário Intermediário

              CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz - 17hh00 às 17h59 e 21h00 min às 21h59 

              CPFL Paulista e RGE - 16h00 às 17h59 e 21h00 às 21h59

     

Fora de Ponta ​

          CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz - 22h00 às 16h59

          CPFL Paulista e RGE - 22h00 às 15h59 

Finais de semana e feriados nacionais oficiais são considerados como posto tarifário fora de ponta.


Horário de Verão 2019: Conforme regulamentação, o medidor não entrará em horário de verão. Para realizar o consumo de forma correta durante o horário de verão, o consumidor deverá estar ciente de que o seu relógio está uma hora adiantado em relação ao relógio do medidor. Desta forma, deverá considerar uma hora a mais para o início de cada faixa horária (ponta, fora de ponta, intermediário).

Como a Aneel define os valores da Tarifa Branca?
Os horários de ponta, intermediário e fora de ponta, assim como os valores das tarifas são homologados pela ANEEL nas revisões tarifárias periódicas de cada distribuidora, que ocorrem em média a cada quatro anos. 

Se aderir à Tarifa Branca, qual é o prazo para a mudança?

Para unidades consumidoras existentes o prazo da distribuidora é de 30 dias após a adesão.

Para novas unidades consumidoras, o prazo é de 3 dias úteis para vistoria do padrão de medição e 2 dias úteis após a aprovação do padrão para a instalação do medidor de Tarifa Branca (estes prazos estão referenciados a unidades consumidoras localizadas na área urbana). Na área rural estes prazos são de 5 dias úteis para vistoria e 5 dias úteis para ligação.​

Se mudar de ideia, como é o processo para voltar ao modelo anterior de tarifa?
O retorno à Tarifa Convencional poderá ocorrer a qualquer tempo, devendo ser atendido pela distribuidora em até 30 dias. Após o retorno à Convencional, uma nova adesão à Tarifa Branca só será possível após o prazo de 180 dias.
Se não optar, o que pode acontecer?

A adesão a Tarifa Branca é opcional. Se o cliente não optar, ele continuará sendo tarifado na modalidade tarifária convencional.

Como solicitar a adesão à Tarifa Branca?

A adesão poderá ser feita nas agências de atendimento, redes credenciadas ou pelo site www.cpfl.com.br​​.

Mudará a conta de energia?

O modelo da fatura não mudará, mas a conta virá com informações do consumo em cada segmento horário. (Ponta, fora ponta e intermediário)

O que a Tarifa Branca tem a ver com as Bandeiras Tarifárias?

Nada. A Tarifa Branca é uma nova tarifa que possibilita aos clientes avaliar o seu perfil de consumo e optar por ela caso consuma mais em horários fora de ponta. As bandeiras tarifárias (verde, amarela, vermelha | patamar 1 e 2), por sua vez, indicam se haverá ou não acréscimo no valor da energia a ser repassada, em função das condições de geração de eletricidade.

​​​​​​​​​​O que é a Tarifa Branca?

 

A Tarifa Branca é uma norma regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que entrou em vigor a partir de janeiro de 2018. O objetivo da nova regulamentação é oferecer aos consumidores um novo regime de preço, como uma tarifa alternativa baseada na variação do valor da energia conforme o dia e o horário do consumo. Primeiramente, em 2018, essa opção foi oferecida somente aos novos consumidores e clientes com consumo médio superior a 500 kWh/mês nos últimos 12 meses - com exceção dos clientes de baixa renda, de iluminação pública.

Em 2019 ela será oferecida aos clientes com consumo médio superior a 250 kWh/mês nos últimos 12 meses, com exceção dos clientes baixa renda, iluminação pública e faturada na modalidade de pré-pagamento. 

E em 2020 todos os clientes poderão aderir, com exceção dos clientes baixa renda, iluminação púbica e  faturada na modalidade de pré-pagamento.

No novo modelo será considerado o horário do consumo para definir o preço da eletricidade. Os dias úteis ficarão divididos em Horário de Ponta, Horário Intermediário e Horário Fora de Ponta - sendo o Horário de Ponta aquele com maior demanda de energia na área de concessão, ou seja, o mais caro, e o Fora de Ponta, o mais barato.

O que quer dizer na prática?


Isso quer dizer que se o consumidor adotar hábitos que priorizem o uso da energia no horário Fora de Ponta, diminuindo fortemente o consumo no Horário de Ponta e no Horário Intermediário, a opção pela Tarifa Branca oferece a oportunidade de reduzir o valor pago pela energia consumida. Com exceção dos fins de semana e feriados, quando o valor a ser cobrado é sempre o Fora de Ponta.

Qual perfil se enquadra à nova modalidade?

 

Para tomar a melhor decisão, é importante lembrar que, antes de optar pela Tarifa Branca, o conhecimento sobre o seu perfil de consumo, seus hábitos de uso da energia ao longo do dia e a comparação entre os valores da Tarifa Branca e a Convencional são fatores determinantes para pagar menos pela energia consumida.

Dessa forma, se optar pela nova tarifa, o consumidor deverá ser disciplinado no gerenciamento de seu consumo, pois só assim a economia na conta será possível. Por isso, caso o consumo de energia nos horários de Ponta e Intermediário não seja evitado, a adesão à Tarifa Branca irá resultar em uma conta de luz mais alta. Nessa situação, é mais vantajoso continuar utilizando a tarifa convencional.

Esses novos horários - de Ponta, Intermediário e Fora de Ponta - são definidos pela ANEEL nas Revisões Tarifárias Periódicas de cada distribuidora.

​​Como aderir à Tarifa Branca?


A solicitação da mudança de tarifa é opcional e estará liberada a partir do dia 1º de janeiro de 2019 para clientes com consumo acima de 250 kWh/mês nos últimos 12 meses. Para os consumidores do Grupo CPFL, a adesão deve ser realizada, gratuitamente, nas agências de atendimento da empresa, redes credenciadas ou pelo site www.cpfl.com.br.

Acesse outros serviços disponíveis:

Tarifa Branca

​​

Ligação Nova