Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

 Unicamp

 

Ao completar 50 anos em 05 de outubro de 2016, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) atinge um marco em sua história que remete a reflexões sobre suas contribuições enquanto instituição pública de ensino superior. O projeto idealizado por seu fundador, Prof. Zeferino Vaz, contemplou uma instituição dinâmica, que vem formando gerações de profissionais segundo os mais elevados requisitos de qualidade. Para isso, ele recrutou os melhores talentos da época, uma característica que permanece até o presente nos processos altamente seletivos para os novos docentes, pesquisadores e funcionários da instituição. Assim, a Unicamp formou, em cinco décadas, mas de 65 mil jovens profissionais em seus cursos de graduação.

Complementando a formação na graduação, o projeto contemplou também a implantação de cursos de pós-graduação voltados à formação de novos docentes e pesquisadores. Para que essas atividades de formação pudessem ocorrer em níveis de excelência, foram implantadas simultaneamente as atividades de pesquisa, voltadas à geração de novos conhecimentos nas várias áreas, incluindo as ciências biomédicas, humanas, exatas e tecnológicas. Esses cursos formaram, ao longo desse período, cerca de 28 mil mestres e 17 mil doutores.

A forte sinergia entre ensino e pesquisa marca a história da Unicamp desde o seu início. Esta é uma de suas características mais significativas, levando-a se destacar no panorama das instituições acadêmicas nacionais e internacionais. Mas, é importante também fazer com que os resultados das atividades de ensino e na pesquisa possam chegar de forma direta e rápida à sociedade. Disso decorrem as ações de interação com a sociedade, por meio da extensão acadêmica em seus mais variados aspectos, como parcerias com órgãos governamentais e comunitários para a formulação de políticas públicas, o atendimento à Saúde, por meio do conjunto médicohospitalar ligado à Área da Saúde da Unicamp, e pelas iniciativas na área de inovação tecnológica e empreendedorismo, estas últimas em colaboração estreita com o setor industrial, incluindo a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL).

A Unicamp é a universidade brasileira com o mais alto índice de cursos de pós-graduação avaliados pela Capes/MEC com os conceitos máximos. O destacado conjunto de docentes e pesquisadores por ela formados nessas cinco décadas vem contribuindo de maneira muito expressiva para o desenvolvimento científico e tecnológico, tanto no Brasil como também no exterior. Além disso, é notável o papel por eles desempenhado na formação e consolidação de outras instituições acadêmicas no pais e também para o desenvolvimento tecnológico da indústria. Essas talvez sejam as mais importantes contribuições da Unicamp ao país.

Seu corpo docente é atualmente formado por 1.867 professores. A produção científica da Unicamp é a mais alta entre as instituições acadêmicas brasileiras, com uma média anual acima de 2 artigos por docente, comparável às das melhores universidades do mundo. A Unicamp é ainda uma das instituições brasileiras com o maior número de patentes, tendo propiciado a criação, em seu entorno, de um dos mais dinâmicos ecossistemas de inovação tecnológica existentes no Brasil.

Por fim, e não menos relevante, a Unicamp, sendo financiada com recursos dos contribuintes paulistas, também cumpre o seu papel ao adotar políticas de inclusão social e étnica de forma a compatibilizar a excelência acadêmica com o resgate da dívida com grande parcela de nossa sociedade. É com grande orgulho que constatamos o expressivo aumento nos últimos anos de alunos que estudaram em escolas públicas entre os ingressantes no vestibular da Unicamp.

 

Média anual da produção científica e inovação tecnológica da UNICAMP
linhas de pesquisa1.094
Projetos de Pesquisa5.962
Patentes71
Artigos científicos e trabalhos completos publicados em periódicos6.485
Livros e capítulos de livros921
Publicações indexadas4305
Dissertações de mestrado e teses de doutorado concluídas2260

 


Fontes:

http://www.unicamp.br/unicamp/noticias/2016/08/22/correio-popular-destaca-artigo-sobre-unicamp

http://www.aeplan.unicamp.br/


Conheça quem faz parte do projeto

 


 

Instituto de Geociências

 

Quem somos

O Departamento de Política Científica e Tecnológica (DPCT), sediado no Instituto de Geociências, dedica grande ênfase às atividades de pesquisa no campo do desenvolvimento científico e tecnológico e da inovação, alimentando a docência de pós-graduação (mestrado e doutorado) e graduação com seus resultados. A evolução da Ciência e Tecnologia é um processo social e, como tal, condicionado por fatores de natureza política, econômica e cultural. Com base em tratamento multidisciplinar, o DPCT se dedica à análise do processo em desenvolvimento e à concepção de estratégia e mecanismos orientados ao desenvolvimento científico e tecnológico.

Neste departamento, encontra-se o Laboratório de Estudos do Veículo Elétrico (LEVE). O grupo tem como objetivo realizar pesquisas e estudos na área da indústria automobilística, como foco nas tecnologias de propulsão veicular baseadas no baixo carbono, das quais destacam-se os veículos elétricos, híbridos e dedicados às energias renováveis.

Por que fazemos parte desse projeto?

Os veículos elétricos apresentam-se como uma alternativa sustentável para o problema da mobilidade, tanto para os países desenvolvidos como em desenvolvimento. Não obstante tal possibilidade, ainda não há uma rota tecnológica definida que especifica padrões tecnológicos ideais para o funcionamento do veículo elétrico, fator este que tem dificultado a consolidação deste mercado de produção e consumo. Indefinições sobre o melhor material para produção das baterias, tempo de vida útil, autonomia de rodagem e tempo de abastecimento são apenas alguns dos desafios tecnológicos a serem sanados.

E para o progresso do setor, é necessária a consolidação desta nova trajetória tecnológica e a definição do papel do Estado em viabilizar seu desenvolvimento e expansão em diversos mercados, assim como a interface com o setor elétrico. Essas informações são essenciais para esclarecer e direcionar o debate técnico sobre a viabilidade deste mercado no Brasil

Claramente as indefinições e desafios apontados caracterizam-se como janelas de oportunidades em aberto para aqueles que estiverem empenhados em adentrar neste segmento. Fato este que lança a questão: o Brasil teria condições de atuar no segmento dos veículos elétricos? Qual seria a dimensão desta atuação: como desenvolvedor de tecnologias e/ou apenas como produtor de VE?  Qual seria o do papel do Estado em viabilizar seu desenvolvimento e expansão? O estudo que aqui se apresenta pretende contribuir com estas questões e propostas ao coletar e organizar subsídios que instrumentalizam o debate técnico em defesa deste tipo de veículo no país. Este foco de pesquisa está plenamente alinhado com as pesquisas que o Departamento de Política Cientifica e Tecnológica da UNICAMP vem desenvolvendo.

Da perspectiva da CPFL, empresa contratante da pesquisa, trata-se de capacitá-la com argumentos que viabilizem o diálogo com os demais atores acerca das diretrizes para a viabilidade da produção e da Pesquisa e Desenvolvimento do veículo elétrico no Brasil.

Como participamos?

A pesquisa está organizada em torno de três eixos de informações distintos e totalmente complementares, para se pensar nas barreiras e oportunidades para adensar os investimentos em P,D&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação) e a produção de veículos elétricos no Brasil. Trata-se de informações de cunho estratégico necessárias para subsidiar e orientar as escolhas haja vista os vários desafios à consolidação deste mercado no país.

a)      Políticas Públicas e Incentivos Governamentais para o Veículo Elétrico em países selecionados.

A abordagem a partir da perspectiva internacional é uma forma de olhar para outros exemplos, bem sucedidos, e apreender lições que possam ser aplicadas e sugeridas para subsidiar a definição da regulação para o veículo elétrico no Brasil

b)      Prospecção Tecnológica e Inteligência Competitiva para o Veículo Elétrico

Da mesma forma, identificar tendências tecnológicas neste mercado, por meio do registro de patentes e da cooperação entre os atores, é um meio de orientar os investimentos públicos e privados na valorização de espaços de atuação local em consoante com os padrões tecnológicos internacionais que tem se mostrado mais bem sucedidos.

c)      Cadeia produtiva e Sistema de Inovação do Veículo Elétrico no Brasil

Mapear a cadeia de valor ajuda a compreender quais são as nossas oportunidades e fragilidades na configuração de uma cadeia produtiva que dê suporte ao desenvolvimento, produção e montagem, de peças e acessórios em uma indústria voltada aos veículos elétricos.

Pesquisadores

Gerente do Projeto: Profa. Dra. Flávia L. Consoni

Equipe do Projeto:

Altair de Oliveira (doutorando)

Edgar Barassa (doutorando)

Jenyfeer Andrea Martínez Buitrago (doutorando)

Tatiana Bermúdez Rodriguez (doutorando)

Bryan Marques Moraes (graduando)

Henrique Botin Moraes (graduando)

João Vitor Leme (graduando)

Sonial Tilkian (suporte técnico/administrativo)

-

Artigos publicados no projeto

 

 

BERMÚDEZ, T.; CONSONI, F. Tendencias científicas y tecnológicas de las baterias para vehículos eléctricos, a través de la aplicación de vigilancia tecnológica. In: CONGRESO ALTEC 2015, Porto Alegre, Brasil. Disponível em: <http://www.altec2015.org/anais/altec/papers/668.pdf

BERMÚDEZ, T.; CONSONI, F.  Scientific and technological trends of lithium-ion batteries for electric vehicle: Insights from the application of bibliometric and patent analysis. In: 24TH INTERNATIONAL COLLOQUIUM OF GERPISA 2016. THE "NEW FRONTIERS" OF THE WORLD AUTOMOTIVE INDUSTRY: TECHNOLOGIES, APPLICATIONS, INNOVATIONS AND MARKETS, 2016, Puebla, México. Disponível em <http://gerpisa.org/en/node/3365

CONSONI, F.L.; MARQUES, M.; LEITE, D.N.; PIZZOLATTO, D.G.; TEIXEIRA, W.W. Iniciativas brasileiras para incentivar a mobilidade elétrica: a experiência da CPFL. Inovação. Revista Eletrônica de P,D&I, maio 2016.(http://www.inovacao.unicamp.br/artigo/iniciativas-brasileiras-para-incentivar-mobilidade-eletrica-experiencia-da-cpfl/)

 

CONSONI, F. L.; BARASSA, E.; O renascimento dos veículos elétricos: trajetória e tendências atuais, 11/2015, ComCiência (UNICAMP),Vol. s/n, pp.1-5, Campinas, SP, Brasil, 2015 (http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=118&id=1431)

 

BARASSA, E.CONSONI, F. L. . Potential development of electric vehicles production and market in Brazil: a discussion focused on automotive and electric sector strategies. In: 24TH INTERNATIONAL COLLOQUIUM OF GERPISA 2016. THE "NEW FRONTIERS" OF THE WORLD AUTOMOTIVE INDUSTRY: TECHNOLOGIES, APPLICATIONS, INNOVATIONS AND MARKETS, 2016, Puebla, México. Disponível em <http://gerpisa.org/en/node/3344> 

MORAES, H.B . ; BARASSA, E. ; CONSONI, F. L. . Conhecimento científico e tecnológico para o veículo elétrico no brasil: uma análise a partir das instituições de ciência e tecnologia e seus grupos de pesquisa. In: ALTEC, 2015, Porto Alegre. ALTEC 2015, 2015.( http://www.altec2015.org/anais/altec/papers-br.html)

 

MORAES, H. B. ; BARASSA, E. ; CONSONI, F. L. . Conhecimento Científico e Tecnológico Para o Veículo Elétrico no Brasil: Uma Análise a Partir Das Instituições de Ciência e Tecnologia e Seus Grupos de Pesquisa. Desafio Online, v. 2, p. 80-99, 2016.(http://seer.ufms.br/index.php/deson/article/view/2087)

 

BARASSA, E.CONSONI, F. L. Estímulos para o veículo elétrico no Brasil: uma análise a partir das políticas de oferta (technology-push) e de mercado (demand-pull). 24 Congresso e Mostras Internacionais SAE Brasil de Tecnologia da Mobilidade. São Paulo. 2015​


 


 


 

 

Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação

Quem somos?

Somos um grupo de pesquisa formado por profissionais atuando na área de Sistemas de Energia Elétrica filiados à Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Atualmente temos focado nossos esforços em projetos de pesquisa e desenvolvimento relacionados à integração de tecnologias sustentáveis aos sistemas de distribuição de energia elétrica, bem como em pesquisas relacionadas à melhoria nas ações de gerenciamento desses sistemas.

Por que fazemos parte desse projeto?

O veículo elétrico surge como uma importante solução para as necessidades de diminuição da poluição nos grandes centros urbanos e do uso de tecnologias mais sustentáveis. Contudo, apesar dos benefícios ambientais para os grandes centros urbanos associados ao aumento da frota de veículos elétricos, suas baterias precisam ser recarregadas periodicamente na rede elétrica da concessionária, provocando alterações em seu funcionamento. Assim, participamos do projeto Emotive motivados pelo interesse conjunto dos parceiros de conhecer os potenciais desafios e antecipar soluções que permitam manter a qualidade da energia ao consumidor em um cenário de grande penetração de veículos elétricos.

Como participamos?

Realizamos estudos para identificar as potenciais alterações provocadas pela recarga dos veículos elétricos no planejamento e operação das redes elétricas e desenvolvemos métodos para mitigar impactos adversos. Os resultados obtidos nos estudos são importantes uma vez que contribuirão para que o setor elétrico antecipe eventuais ações necessárias em um cenário de elevada adesão à tecnologia dos veículos elétricos.

Grandes números:

- 25+ pesquisadores, sendo que 16 pesquisadores participam ou já participaram ativamente no projeto (5 professores doutores, 2 doutores, 4 mestres e 5 engenheiros).

- Quantidade de mestrados e/ou doutorados

  • 1 mestrado finalizado;

  • 2 mestrados em andamento;

  • 1 doutorado em andamento.

- Quantidade de artigos produzidos

  • 3 artigos publicados ou aceitos em congressos internacionais;

  • 3 artigos publicados ou aceitos em congressos nacionais.

Artigos publicados no projeto

Torquato, R.; da Silva, L. C. P.; Freitas, W.; Kurth, B.; Arioli, V.; "Impact assessment of the two-way operation of plugin electric vehicles on distribution networks," 2014 IEEE Power & Energy Society General Meeting, National Harbor, 2014.

http://ieeexplore.ieee.org/document/6939119/

Torquato, R.; Arioli, V.; Pinto, D. R.; Freitas, W.; Silva, L. C. P.; "Análise dos Impactos Técnicos Causados Pelo Aumento da Frota de Veículos Elétricos na Operação das Redes Elétricas," XXIII Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica (SNPTEE), Foz do Iguaçu, 2015.

Arioli, V.; Torquato, R.; Salles, D.; Oliveira, M. S. G.; "Análise do Impacto da Conexão de Veículos Elétricos nos Níveis de Curto-Circuito e Transitórios de Tensão em Redes de Distribuição," VIII Congresso de Inovação Tecnológica em Energia Elétrica (VIII CITENEL), Costa do Sauípe, 2015.

Martins, M. C. S.; Trindade, F. C. L.; "Time series studies for optimal allocation of electric charging stations in urban area", 2015 IEEE PES Innovative Smart Grid Technologies Latin America (ISGT LATAM), Montevideo, 2015, pp. 142-147.

http://ieeexplore.ieee.org/document/7381143/


 

FEM.png

Faculdade de Engenharia Mecânica

Quem somos? 

Nome da empresa: FEM/NIPE - Unicamp

A equipe faz parte do Departamento de Energia (DE) e do Programa de Pós-Graduação em Planejamento de Sistemas Energéticos da Faculdade de Engenharia Mecânica (PSE/FEM). O PSE/FEM é um curso interdisciplinar de pós-graduação que trata de forma ampla aspectos técnicos/tecnológicos, econômicos/financeiros, socioambientais, regulatórios e políticos através de três linhas de pesquisa: Análise da Demanda e Suprimento de Energia; Política Energética; e Energia, Sociedade e Meio Ambiente.

Através da parceria com o Núcleo Interdisciplinar de Planejamento Energético (NIPE/Unicamp) são executados projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e projetos de extensão financiados por empresas do setor de energia, como a CPFL Energia, Petrobrás, Eletronorte, etc.; e por agências de fomento à pesquisa, como a Fapesp, CNPq, Finep, etc.

Por que fazemos parte desse projeto?

A análise de rotas tecnológicas requer estudos técnicos, econômicos, regulatórios, sociais e ambientais para auxiliar na tomada de decisão quanto às suas possíveis utilizações. A avaliação de impactos ambientais globais (como as emissões de gases de efeito estufa) faz parte da preocupação mundial, porém a identificação e estimativa dos impactos locais (emissão regulada dos veículos, contaminação do solo, eutrofização, etc.) são também fundamentais para a definição de políticas públicas regionais e nacionais. Uma forma de avaliar tais impactos consiste na utilização da ferramenta de Avaliação do Ciclo de Vida (ACV), a qual busca identificá-los e quantificá-los desde a extração de matérias-primas até o uso e a disposição final do produto ("do berço ao túmulo"). Apesar da divulgação de vários estudos de ACV sobre mobilidade elétrica, a carência de estudos nos quais as particularidades brasileiras são consideradas motivou o desenvolvimento desse projeto de P&D.

Como participamos?

O objetivo do projeto é, a partir da ACV, avaliar os impactos da inserção dos veículos elétricos no contexto brasileiro, considerando tanto o ciclo de vida dos veículos quanto o das fontes de energia; e analisar comparativamente a motorização elétrica com as alternativas de motorização de veículos (veículos flex, usando etanol e gasolina) no contexto atual e no horizonte de 2030. Aspectos como a futura introdução em larga escala de veículos elétricos na frota automotiva, os custos marginais de produção de energia, as elasticidades de suprimento da demanda, etc. serão incorporados na análise, permitindo descrever suas respectivas influências nos fluxos físicos. Esse tipo de abordagem, conhecida como consequencial, proverá resultados que auxiliarão na análise de políticas públicas visando o incentivo da mobilidade elétrica no setor de transportes do Brasil.

 

Pesquisadores

Coordenação geral do projeto: Prof. Dr. Arnaldo Walter

Equipe:

Prof. Dr. Joaquim Seabra, Profa. Dr. Carla K. N. Cavaliero, Prof. Dr. Marcelo Cunha, Ms. Jorge E. V. Vargas e Ms. Daniela Godoy Falco.

Quantidade de mestrados e/ou doutorados: 2

Quantidade de artigos produzidos: 3 artigos científicos publicados em congressos nacionais

 

Artigos publicados no projeto

  1. Vargas, J. E. V; Falco, D. G.; Seabra, J. E. A.; Cavaliero, C. K. N.; Walter, A. C. S. (2016) Avaliação do Ciclo de Vida de Veículos Elétricos e de Veículos Flex Fuel nas Condições Brasileiras. In: V Congresso Brasileiro em Gestão do Ciclo de Vida, Fortaleza, Brasil, 2016.
  2. Falco, D. G.; Cavaliero, C. K. N.; Seabra, J. E. A.; Vargas, J. E. V.; Walter, A. C. S. (2016) Avaliação de Ciclo de Vida da Produção de Hidrogênio por Reforma a Vapor de Gás Natural e de Etanol. In: V Congresso Brasileiro em Gestão do Ciclo de Vida, Fortaleza, Brasil, 2016.
  3. Vargas, J. E. V.; Seabra, J. E. A.; Walter, A. C. S.; Cavaliero, C. K. N.; Falco, D. G. (2016) Electric Vehicles Environmental Competitiveness for 2014 and 2030 as a Function of Recharge: an LCA Approach. In: X Congresso Brasileiro de Planejamento Energético, Gramado, Brasil, 2016.

 

Artigos premiados em evento

  1. Vargas, J. E. V.; Seabra, J. E. A.; Walter, A. C. S.; Cavaliero, C. K. N.; Falco, D. G. (2016) Electric Vehicles Environmental Competitiveness for 2014 and 2030 as a Function of Recharge: an LCA Approach. In: X Congresso Brasileiro de Planejamento Energético, Gramado, Brasil, 2016.

 

 

< Voltar​