Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

Psicanalista Jurandir F. Costa fala sobre “Identidade e desenraizamento” no Café Filosófico CPFL

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   11/04/2019

​O psicanalista Jurandir F. Costa fala sobre “Identidade e desenraizamento” no Café Filosófico CPFL desta sexta-feira, 12/04, às 19h. O encontro é aberto ao público em Campinas e será transmitido ao vivo pelas redes sociais do Instituto CPFL.

Um dos curadores do módulo sobre “Desafios da identidade no mundo contemporâneo”, Costa pretende analisar, do aspecto psicanalítico, os efeitos do desenraizamento na formação do ego ou da identidade pessoal. 

Desenraizamento e enraizamento, segundo ele, têm a ver com a economia afetiva do desamparo, da frustração, da idealização, do fetichismo, da rivalidade fratricida, da projeção paranoica no “outro perseguidor” – ou, ao contrário, na elaboração de formas ricas, solidárias e propícias à sublimação criativa, motor da civilização emancipatória.  (Saiba mais em https://bit.ly/2X2J0uZ).

Café na TV. No domingo, 14/04, às 21h, a TV Cultura exibe o Café Filosófico CPFL inédito “Autoficção, no limiar da biografia e da invenção”, com os escritores Michel Laub e Manuel da Costa Pinto.

“A ficção não tem um caráter utilitário. A ficção de caráter didático, que mostra lições de vida em determinada história, são chamados de romances baratos. A alta literatura rejeita esse caráter utilitário. Hoje as coisas estão forjadas para um retorno econômico. É como se houvesse uma ‘perda do tempo’ lendo determinado livro”, disse o Laub durante o encontro.

No debate com o jornalista Manuel da Costa Pinto, mestre em teoria literária e curador da série “Emblemas literários do presente” do Café Filosófico CPFL, Laub disse que a autoficção facilitou a vida do leitor. 

“Pode dar livros excelentes ou péssimos. De certo modo, hoje em dia as pessoas tendem a gostar de relatos pessoais pelos seus hábitos de leitura e hábitos sociais, pela busca de alguma lição de vida, de personagens que se transformam ao longo da história. É algo mais próximo da realidade do leitor. A ficção pura, não. É mais fácil botar o nome no livro, e fazer com que as pessoas pensem que é sobre você, e isso gera fofocas, vendas, comentários. Gera uma certa facilidade também”, analisou o autor de “O Tribunal de Quinta-Feira” e “A Maça Envenenada”. (Saiba mais em https://bit.ly/2D3TEtO​). 

Exposição. De segunda a sábado, o público pode conferir também a exposição "Figura e modernidade: Rodin no acervo da Pinacoteca de São Paulo", que reúne na Galeria de Arte do Instituto CPFL, em Campinas, a coleção completa da Pinacoteca referente ao artista francês.

O conjunto de 10 esculturas originais e 76 fotografias documentais da vida do artista será exibido gratuitamente até 29 de junho. 

A exposição tem a curadoria de Valéria Piccoli, curadora-chefe do museu e conta com recursos educativos desenvolvidos pelo NAE – Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca, para uso autônomo, que estimulam a participação do público de todas as idades, criando novas relações com as obras.

A exposição conta também com visitas educativas mediadas por educadores que estarão no local para atender ao público.

O horário de funcionamento é, de segunda e terça, das 9h às 18h, de quarta a sexta, das 9h às 19h, e aos sábados, das 10h às 16h. A entrada é gratuita.

Sobre o Instituto CPFL

Com 16 anos de atividades, o Instituto CPFL é a plataforma de investimento social privado do Grupo CPFL, que tem sede em Campinas. A missão do Instituto CPFL é integrar os programas culturais, sociais e esportivos da companhia em uma única rede, transformando por meio do conhecimento as comunidades onde atua. Através do Circuito CPFL, o Instituto CPFL promove gratuitamente em diversas cidades sessões de cinema, concertos, corridas e passeios ciclísticos, além de ações sociais voltadas ao fortalecimento da cidadania. 

Em 2019, estão previstas iniciativas em cerca de 100 localidades, alcançando um público presencial estimado de milhares pessoas. O Instituto CPFL é responsável também pela difusão do conhecimento através das transmissões e do acervo online dos encontros do Café Filosófico CPFL, tradicional programa de debates que pode ser acompanhado pelo público no Youtube, no site, no app institutocpflplay, no Facebook e na TV aberta. O programa editado é exibido aos domingos, às 21h, na TV Cultura.

O Instituto CPFL fica na rua Jorge Figueiredo Corrêa, número 1.632, na Chácara Primavera.

Tags:
    Instituto CPFL; Café Filosófico CPFL; TV Cultura; Jurandir F. Costa;