Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

Operação da CPFL Paulista encontra “gato” e fraudadores de energia em estabelecimentos comerciais de Sertãozinho

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   02/06/2020

Com o objetivo de coibir a prática criminosa, a ação da companhia contou com apoio das Polícias Civil e Militar 

Sertãozinho, 03 de junho de 2020. A CPFL Paulista, distribuidora que atende 234 municípios no interior de São Paulo, e as Polícias Militar e Civil, realizaram uma operação de combate a fraudes e furtos de energia em Sertãozinho. A ação inspecionou, nesta quarta-feira, 3, uma gráfica e uma lanchonete, onde foram encontradas irregularidades e quatro pessoas foram autuadas em flagrante.

O proprietário da gráfica foi levado à unidade policial para responder criminalmente pelo delito. Além disso, precisará quitar seus débitos com juros e correções monetárias para que o fornecimento seja restabelecido. No segundo caso, a polícia encontrou dois homens vendendo equipamentos para redução de energia e, por meio deles, chegaram a uma lanchonete onde haviam acabado de realizar a instalação do material. Eles e a dona do estabelecimento foram encaminhados às autoridades locais.

A CPFL Paulista estima que a energia recuperada após a operação seja corresponde ao consumo de aproximadamente 33 residências médias, durante 30 dias. Se essa energia recuperada for convertida em tarifa de venda do serviço, ela representa cerca de R$ 12 mil, dos quais parte volta para os cofres públicos em forma de impostos (ICMS e PIS/Cofins) que não foram pagos e serão revertidos para benefício da população.

A CPFL Paulista e Polícia Civil atuam constantemente para inspecionar e identificar irregularidades em unidades consumidoras de todos os bairros das cidades. O objetivo é coibir a prática de fraudes e furtos, que piora a qualidade do fornecimento de energia para os demais consumidores e coloca em risco a vida da população, além de encarecer as tarifas para todos os clientes da distribuidora.

Fraude e furto de energia é crime. As fraudes e furtos de energia são crimes previstos no Código Penal, e a pena pode variar de um a quatro anos de detenção. Também são cobrados dos fraudadores os valores das tarifas referentes a todo o período em que ocorreu o roubo, acrescidos de multa. A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) também distribui para todos os consumidores, por meio das tarifas de energia elétrica, parte dos prejuízos causados pelas "perdas comerciais", como são denominadas as irregularidades. 

“Outra consequência negativa é a piora na qualidade do serviço prestado. As ligações clandestinas sobrecarregam as redes elétricas, deixando o sistema de distribuição mais suscetível às interrupções no fornecimento”, explica o gerente de serviços comerciais da CPFL Energia, Pedro de Aro.

Consumidores que fazem “gato”, além de praticarem crime, também estão colocando as suas vidas e da população em risco. Pessoas não habilitadas que tentam manipular o medidor de energia ou realizar ligação direta na rede podem causar acidentes graves, até mesmo fatais.

Mais fiscalização. Consumidores da CPFL Paulista podem contribuir, de forma absolutamente segura e sigilosa, para o combate às fraudes e furtos por meio dos canais de denúncia disponibilizados pela concessionária. Denúncias podem ser realizadas pelo aplicativo CPFL Energia, pelo site www.cpfl.com.br/fraude, pelo e-mail denunciafraude@cpfl.com.br​.

Além disso, a CPFL Paulista tem intensificado a fiscalização contra este tipo de delito em todos os municípios atendidos. A assertividade do trabalho desenvolvido pela Diretoria Comercial do Grupo CPFL é fruto de novas tecnologias adotadas em seus processos de monitoramento e análise. Deste modo, a companhia consegue preventivamente identificar possíveis variações no consumo de energia que indiquem perdas comerciais. Além dos investimentos em processos, a companhia também tem trabalhado em conjunto com os órgãos públicos e as autoridades policiais para coibir a prática de fraudes e furtos.

Tags:
    Sertãozinho; Fraude e furto; Mais fiscalização;