Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

CPFL Energia ensina seis mudanças de hábito para economizar com a geladeira

Escrito por:

Assessoria de imprensa   12/01/2017

Eletrodoméstico representa, em média, de 25% a 30% da energia consumida mensalmente em uma residência durante o verão.

Campinas, 13 de janeiro de 2017 – As temperaturas mais altas do verão alteram o funcionamento dos eletrodomésticos e podem fazer com que eles precisem de mais energia para funcionar adequadamente. Um dos mais afetados por essa mudança da temperatura é a geladeira, uma vez que sua função é, justamente, manter o seu interior mais gelado do que o ambiente.

Para cumprir essa função 24h por dia, a geladeira é um dos principais consumidores de energia elétrica dentro de uma residência. O eletrodoméstico representa, em média, de 25% a 30% do valor da conta de energia durante o verão, superando o chuveiro e o ar-condicionado neste período. Controlar sua eficiência é mais difícil, pois, diferente do chuveiro ou do ferro de passar, não é possível usar menos o refrigerador, uma vez que ele é um eletrodoméstico de uso contínuo.

No entanto, de acordo com o gerente de Eficiência Energética da CPFL Energia, Luiz Carlos Lopes Junior, é possível alterar alguns hábitos de uso para fazer com que a geladeira passe de vilão do consumo para aliado na economia de energia elétrica durante o verão. "É possível, com poucas mudanças, utilizar de maneira inteligente e racional a geladeira. Quando falamos de energia elétrica, toda mudança que traz economia é válida", argumenta  

Veja as seis mudanças de hábito que trazem mais economia de energia com o uso da geladeira:

1.    Comprar o equipamento certo. Adquirir um equipamento maior do que você, de fato, precisa vai gastar mais energia do que deveria. Portanto, leve em consideração fatores como: quantas pessoas vão utilizar, com que frequência você faz suas compras, se recebe muitos amigos e parentes, entre outros. Isso pode fazer uma grande diferença, pois o modelo de maior porte pode gastar quase três vezes mais energia do que o modelo menor, de acordo com a média de consumo dos aparelhos da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

2.    Opte por modelos mais eficientes. Na hora de comprar a geladeira, escolha os modelos com o selo A do Procel, mais econômicos e eficientes. Uma boa dica é prestar a atenção se o aparelho vem equipado com a tecnologia inverter, que mantém o compressor em funcionamento contínuo, eliminando os arranques que aumentam o consumo de energia. Além de conservar melhor os alimentos, os compressores com a tecnologia inverter são mais eficientes e econômicos por evitar os picos de energia.

3.    Instalar em local adequado. Garanta que a geladeira fique instalada em um local fresco da casa, sem a incidência direta de sol. Mantenha ainda a geladeira longe de fornos, fogões, estufas aquecedores de água ou qualquer equipamento que emita muito calor. O eletrodoméstico deve ficar ainda distante da parede ou fora de nichos muito apertados com pouca circulação de ar. Neste caso, siga a distância recomendada pelo fabricante.

4.    Observar a capacidade. Geladeira muito vazia, gasta mais. Isso porque o ar frio escapa com mais facilidade quando você abre a porta e ela precisa trabalhar mais para voltar a temperatura ideal. O contrário também não é indicado, ou seja, encher a geladeira com mais mantimentos do que sua capacidade permite, encostar os recipientes nas extremidades ou forrar as prateleiras dificulta o fluxo de ar interno, o que também faz com que ela gaste mais energia.

5.    Cuidar da temperatura interna. O ideal para economizar energia e não estragar os alimentos é manter a temperatura interna entre 2 e 4 graus célsius no compartimento para alimentos frescos e -15 graus célsius no congelador. A geladeira deve ser desligada apenas se você não for utilizá-la por muito tempo, isso porque, uma vez em temperatura ambiente, ela gasta muita energia para atingir o resfriamento ideal. Abrir e fechar a porta com frequência ou deixá-la aberta por muito tempo também pode influenciar no quanto ela consome.  Usar recipientes de cerâmica e vidro é melhor do que utilizar os de plástico, porque eles conservam a temperatura interna menor por mais tempo. Descongelar os alimentos para o dia seguinte dentro da geladeira também ajuda a economizar. Já colocar alimentos quentes direto no refrigerador não é uma boa ideia se você quer gastar menos energia.

6.    Não perder a manutenção de vista. Verifique periodicamente se a borracha de vedação está funcionando bem. Um bom teste para isso é colocar uma folha de papel entre a geladeira e a porta. Ao fechar a geladeira, a folha tem que ficar presa, sem escorregar para o chão. Se o aparelho é mais antigo, cabe verificar se o termostato está funcionando adequadamente. Se os intervalos entre o funcionamento do motor e o silêncio do equipamento estiverem muito curtos ou a geladeira começar a estalar de maneira estranha, consulte um técnico para checar se há algo errado com ela.

Dentro do programa de Eficiência Energética, a CPFL Energia possui projetos que ajudam as pessoas nas cidades da área de concessão das distribuidoras a terem equipamentos mais econômicos. Em alguns casos, eles podem até ser distribuídos gratuitamente, em troca do aparelho antigo, caso as famílias não tenham condições financeiras de comprar um equipamento novo. Para os que podem comprar, periodicamente há acordos com lojas de departamento que incentivam a compra de modelos mais econômicos com desconto. Estes projetos são aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Sobre a CPFL Energia

A CPFL Energia, há 104 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização, serviços e telecomunicações. É líder no mercado de distribuição, com 14,3% de participação, totalizando mais de 9,1 milhões de clientes em 679 cidades em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná.

Na comercialização, é um dos líderes no mercado livre, com uma participação de mercado de 14,1% na venda para consumidores finais entre as comercializadoras. É um dos líderes na comercialização de energia incentivada para clientes livres.

Na geração, é o terceiro maior agente privado do país, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis. A CPFL Geração conta com 2.248 MW de potência instalada, considerando sua participação equivalente em cada um dos ativos de geração. Em 2011, criou a CPFL Renováveis, com ativos como PCHs, parques eólicos, termelétricas a biomassa e a usina solar Tanquinho, pioneira no Estado de São Paulo e uma das maiores do Brasil. Adicionando a participação equivalente na CPFL Renováveis, a capacidade instalada total do Grupo CPFL atingiu 3.192 MW no final do terceiro trimestre de 2016. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros.​

A CPFL Energia tem ações listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa e ADR Nível III na NYSE, além participar do Índice Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets e do Morgan Stanley Capital International Global Sustainability Index (MSCI). Pelo 12º. ano consecutivo, as ações da companhia integram a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa.

 

 

 

 

Tags:
    economia geladeira