Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

CPFL Paulista amplia os investimentos em 21% no primeiro semestre de 2016, para R$ 220 milhões

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   07/09/2016

Campinas, 08 de setembro de 2016 – A CPFL Paulista, distribuidora da CPFL Energia que fornece energia elétrica para 4,28 milhões de clientes em 234 municípios do interior paulista, investiu em torno de R$ 220 milhões na expansão, modernização e manutenção do seu sistema elétrico no primeiro semestre de 2016. Esse volume representa um aumento de 21% nos investimentos realizados pela concessionária, a maior do Grupo CPFL, na comparação com igual período do ano passado.

No geral, os 234 municípios atendidos pela CPFL Paulista receberam investimentos na ampliação e melhoria das redes elétricas primária e secundária, na substituição e manutenção de equipamentos e no suporte ao crescimento do mercado. Os projetos preparam o sistema elétrico da companhia para o aumento futuro da demanda por energia tanto dos clientes industriais quanto dos consumidores das classes comercial e residencial, além de tornar a rede mais resistente aos fatores climáticos.

Do valor total, a concessionária destinou R$ 56,2 milhões na execução de projetos que viabilizam a expansão do mercado consumidor e do número de clientes. Esses investimentos, destinados à instalação de novos medidores para clientes residenciais, industriais e comerciais e à expansão das redes elétricas, contribuíram para que a CPFL Paulista encerrasse agosto de 2016 com 4,284 milhões de consumidores, contra os 4,220 milhões em janeiro deste ano, uma adição de 64,3 mil clientes.  

As ações de suporte de crescimento do mercado receberam R$ 84,8 milhões, cujos recursos foram aplicados na adequação e no aumento de capacidade de subestações e linhas de transmissão e na adequação de capacidade de redes de distribuição. Já os investimentos em melhorias na rede elétrica somaram R$ 14,3 milhões, os quais foram destinados a melhoramentos nas redes primária e secundária, entre outros.

A CPFL Paulista ainda direcionou R$ 31,7 milhões na manutenção do sistema elétrico no primeiro semestre de 2016. Os recursos foram aplicados na manutenção de linhas de transmissão e subestações, em reparos emergenciais na rede elétrica, na troca de transformadores avariados, entre outros. Por sua vez, os projetos voltados para o combate às perdas comerciais, por meio da substituição de medidores obsoletos, consumiram outros R$ 792 mil em investimentos no período. 

“Todo o investimento planejado e executado pela CPFL Paulista é focado em alcançar eficiência operacional e, dessa maneira, aumentar a qualidade e a continuidade dos do fornecimento de energia, contribuindo para o bem-estar e a promoção do desenvolvimento socioeconômico das cidades onde atuamos”, afirma o presidente da CPFL Paulista, Carlos Zamboni Neto.   

As 15 cidades que receberam mais investimentos no primeiro semestre:

CidadeInvestimento–R$ milhões
Moro Agudo32,8
Campinas18,9
Barretos10,9
Itatiba8,8
Ribeirão Preto8,2
São José do Rio Preto7,6
Araçatuba5,8
Guariba5,4
Marília5,3
Santa Bárbara D'Oeste4,5
Piracicaba4,2
Franca3,9
Araraquara3,7
Bauru3,6
Americana 3,4


Alertas para condições climáticas adversas

A partir da metade do segundo semestre do ano, cresce o risco de ocorrência de falta de energia causada por condições climáticas adversas, com o aumento das chuvas. Os investimentos realizados pela CPFL Paulista na rede elétrica servem para minimizar este tipo de interferência. Mesmo assim, a falta de energia gerada por fatores externos, tais como temporais, vendavais e tempestades elétricas, representa 2/3 do total de casos registrados na área de concessão da distribuidora. 

Nesta época, a CPFL Paulista atua em regime de contingência assim que as condições de temporal são determinadas pela previsão meteorológica. Quando essas condições climáticas afetam o fornecimento de energia, a empresa coloca as suas equipes em campo para que o sistema volte a operar normalmente no menor prazo possível.

A outra parte das interrupções se refere aos desligamentos programados, executados para manter a segurança dos eletricistas quando precisam realizar manutenções e expansões na rede elétrica. Os investimentos dão suporte ao crescimento econômico das cidades que, em termos de infraestrutura energética, estão sendo preparadas para o aumento do consumo de energia elétrica nas próximas décadas. 

Para a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), órgão que regulamenta o setor elétrico brasileiro, a CPFL Paulista é uma das melhores distribuidoras de energia do Brasil, se levarmos em consideração os índices de continuidade DEC (que é uma média da duração dos casos de falta de energia, por cliente) e o FEC (que é uma média da frequência dos casos de falta de energia, por cliente). 

Em média, o cliente da CPFL Paulista ficou 7,75 horas sem energia (DEC) em 2015, o segundo melhor indicador entre as distribuidoras brasileiras. Já a quantidades de vezes que o consumidor ficou sem energia (FEC), na média, foi de 4,89 vezes no ano passado, o terceiro melhor índice brasileiro. Para ter uma base de comparação, os consumidores brasileiros ficaram, na média, 17,61 horas sem energia em 2015 e o FEC foi de 9,94 vezes.

Sobre a CPFL Energia

A CPFL Energia, há 103 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização, serviços e telecomunicações. É líder no mercado de distribuição, com 13% de participação, totalizando mais de 7,8 milhões de clientes nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná.

Na comercialização, é um dos líderes no mercado livre, com uma participação de mercado de 14% na venda para consumidores finais entre as comercializadoras. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres.

Na geração, é o terceiro maior agente privado do país, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis. A CPFL Geração conta com 2.248 MW de potência instalada, considerando sua participação equivalente em cada um dos ativos de geração. Em 2011 criou a CPFL Renováveis, com ativos como PCHs, parques eólicos, termelétricas a biomassa e a usina solar Tanquinho, pioneira no Estado de São Paulo, e uma das maiores do Brasil. Adicionando a participação equivalente na CPFL Renováveis, a capacidade instalada total do Grupo CPFL atingiu 3.129 MW no final do primeiro trimestre de 2016. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os 15 maiores investidores brasileiros.

A CPFL Energia tem ações listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa e ADR Nível III na NYSE, além participar do Índice Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets e do Morgan Stanley Capital International Global Sustainability Index (MSCI). Pelo 11º. ano consecutivo, as ações da companhia integram a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa.

Tags:
    CPFL Paulista; investimentos; primeiro semestre de 2016; rede elétrica; projetos