Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

CPFL Piratininga inicia projeto em Santos para regularizar fiação das empresas que ocupam os postes

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   26/07/2016

​​
Santos, 27 de julho de 2016 - A CPFL Piratininga iniciou um projeto piloto que pretende viabilizar a regularização dos cabos das empresas que ocupam seus postes (compartilhamento). Tendo como ponto inicial a Avenida Ana Costa, em Santos, o Projeto Compartilhamento de Infraestrutura, além de promover a instalação organizada das fiações, garantirá a segurança para a circulação de pessoas e veículos, tornando também as instalações mais compactas e harmoniosas. Os ganhos obtidos com esse projeto piloto, nos 47 postes existentes na avenida, serão então encaminhados para aplicação nos equipamentos existentes nas vias públicas, das cidades onde a distribuidora atua, de forma gradual.

No dia 1º de julho foi realizado um workshop, para apresentar a proposta de ordenamento dos cabos de um trecho da Avenida Ana Costa, aos representantes das empresas que ocupam os postes na Baixada Santista, e da Prefeitura de Santos. Na reunião foi definido um Plano de Ação para regularização dos equipamentos e definido o cronograma, com prazo para conclusão do projeto ainda este ano. Inicialmente, a área escolhida para se realizar a adequação e regularização das ocupações, não coincide com a área do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), que possui rede exclusiva ao atendimento do transporte. Ainda foi ressaltado que realizar o alteamento dos postes não mudaria a situação dos ocupantes, que mantém os seus cabos na mesma altura (abaixo da Iluminação Pública).

O Projeto Compartilhamento de Infraestrutura estabelece procedimentos, critérios e metodologia para atendimento das solicitações de compartilhamento de postes da rede elétrica para telecomunicações e demais empresas ocupantes, discriminando as atividades desenvolvidas por todas as áreas no processo de atendimento, visando otimizar mão de obra e recursos tecnológicos, garantindo a qualidade e agilidade no processo de atendimento em todas as distribuidoras do Grupo CPFL. Permite também o aumento da segurança, para funcionários das empresas envolvidas e a população, decorrente das irregularidades existentes na rede e das ocupações clandestinas.

Está previsto, por exemplo, que as prestadoras de serviços de telecomunicações, individualmente ou em conjunto, não podem ocupar mais de um ponto de fixação em cada poste. Se todos os pontos de fixação já estiverem ocupados, a empresa deverá estudar alternativa para a rota da fiação, de forma a evitar nova ocupação, ou apresentar o parecer emitido pela agencia reguladora de telecomunicações, para ocupação temporária de dois pontos de fixação nos postes.

O objetivo é atender as exigências do Ministério Público, para que as concessionárias regularizem a situação existente no compartilhamento de infraestrutura e as leis municipais, que exigem a organização das fiações existentes. Os procedimentos serão sempre realizados tendo como base os documentos técnicos publicados pela CPFL Piratininga, a ABNT e pelas agências *ANEEL/ANATEL/ANP, por meio do Regulamento Conjunto para Compartilhamento de Infraestrutura entre os Setores de Energia Elétrica, Telecomunicações e Petróleo.

Sobre a CPFL Energia

A CPFL Energia, há 103 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização, serviços e telecomunicações. É líder no mercado de distribuição, com 13% de participação, totalizando mais de 7,8 milhões de clientes nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná.

Na comercialização, é um dos líderes no mercado livre, com uma participação de mercado de 14,1% na venda para consumidores finais entre as comercializadoras. É um dos líderes na comercialização de energia incentivada para clientes livres.

Na geração, é o segundo maior agente privado do país, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis. A CPFL Geração conta com 2.248 MW de potência instalada, considerando sua participação equivalente em cada um dos ativos de geração. Em 2011 criou a CPFL Renováveis, com ativos como PCHs, parques eólicos, termelétricas a biomassa e a usina solar Tanquinho, pioneira no Estado de São Paulo, e uma das maiores do Brasil. Adicionando a participação equivalente na CPFL Renováveis, a capacidade instalada total do Grupo CPFL atingiu 3.144 MW no final do primeiro trimestre de 2016. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros.

A CPFL Energia tem ações listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa e ADR Nível III na NYSE, além participar do Índice Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets e do Morgan Stanley Capital International Global Sustainability Index (MSCI). Pelo 11º. ano consecutivo, as ações da companhia integram a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa.

Tags:
    CPFL Piratininga; Santos; Rede Elétrica; Postes; Compartilhamento de Infraestrutura; Fiação; Cabos