Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

CPFL Energia registra Ebitda de R$1,02 bilhão no segundo trimestre de 2017, alta de 6,3%

Escrito por:

Assessoria de Imprensa  09/08/2017

Campinas, 10 de agosto de 2017 – A CPFL Energia, maior grupo privado do setor elétrico brasileiro, alcançou Ebitda de R$1,02 bilhão no segundo trimestre de 2017, crescimento de 6,3% na comparação a igual período de 2016. O resultado reflete a consolidação do balanço da RGE Sul e a melhora nos resultados dos segmentos de Geração e Renováveis. 

A receita líquida da companhia registrou aumento de 33,1% no mesmo intervalo de comparação, para R$5,96 bilhões. O forte crescimento reflete a incorporação dos resultados da RGE Sul, e o aumento no faturamento dos segmentos de Comercialização de Energia (R$ 278 milhões), Geração Convencional e Renovável (R$ 99 milhões) e Serviços e Outros (R$ 25 milhões).

As vendas totais no 679 municípios das áreas de concessão do Grupo CPFL – localizadas principalmente nos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul – aumentaram 15,9% no segundo trimestre de 2017 frente à igual período de 2016, totalizando 16,108 mil gigawatts-hora (GWh). Excluindo a RGE Sul, o Grupo apurou um resultado estável, com alta de 0,5%, para 13,974 mil GWh, ainda refletindo a baixa atividade econômica.

Entre as classes de consumo, as concessionárias do Grupo registraram crescimento no volume do segmento residencial e comercial e industrial, com variação positiva de 14,7%, 15,6% e 11,0%, respectivamente. Desconsiderando os volumes adicionados referentes à RGE Sul, o Grupo apurou alta de 1,3% no volume de vendas para os clientes industriais, ao passo que os segmentos comercial e residencial tiveram queda de 1,4% e 0,6%, respectivamente.

O Grupo encerrou o período com uma relação dívida líquida/Ebitda de 3,28 vezes, o que representa uma estabilidade no nível de alavancagem da companhia, que estava em 3,30 vezes ao final do primeiro trimestre de 2017. Ao final de junho, a posição de caixa estava em R$ 4,25 bilhões, o que significa uma liquidez de 1,10 vez em relação aos vencimentos de dívida nos próximos doze meses. Os indicadores de Alavancagem e Caixa refletem os critérios de medição dos covenants financeiros da companhia.

Considerando esses fatores e a diminuição do resultado financeiro líquido (este refletindo o esperado impacto do funding da aquisição da RGE Sul), a CPFL Energia apurou lucro líquido de R$ 123 milhões no segundo trimestre de 2017, diminuição de 48,7% na comparação ao igual intervalo do ano passado. 

Investimentos no 1S17 e no 2T17

No primeiro semestre de 2017, a CPFL Energia investiu R$ 1,379 bilhão, aumento de 43,8% na comparação com igual período do ano passado. Deste montante, o Grupo aplicou R$ 788 milhões no segmento de distribuição, crescimento de 83,5%. A área de geração recebeu R$ 523 milhões, expansão de 6,5%, dos quais R$ 521 milhões em projetos de geração renováveis. Os investimentos em transmissão somaram R$ 40 milhões, expansão de 331,7%. 

Considerando apenas o segundo trimestre de 2017, os investimentos do Grupo somaram R$ 698 milhões, forte alta de 36,9% na comparação com o montante de R$ 510 milhões realizados em igual período de 2016. Do total, R$ 440 milhões foram aplicados no segmento de Distribuição, aumento de 99,1%. Esses recursos foram dedicados à ampliação, ao reforço, à melhoria e à manutenção da rede, à infraestrutura operacional, à modernização dos sistemas de suporte à gestão e operação, além de serviços para o atendimento ao cliente e projetos de Pesquisa e Desenvolvimento.

No segmento de Geração, os investimentos do Grupo totalizaram R$ 239 milhões, A CPFL Renováveis investiu, principalmente, na implantação do Complexo Eólico Pedra Cheirosa (CE), inaugurada em julho, e na PCH Boa Vista 2 (MG), que teve as obras iniciadas em fevereiro deste ano. 

Nos próximos cinco anos, até 2021, a meta de investimentos do Grupo é de R$ 10,4 bilhões. Deste montante, R$ 9,2 bilhões serão aplicados em Distribuição, R$ 1,01 bilhão em Geração, R$ 157 milhões em Comercialização e Serviços e R$ 48 milhões em Transmissão. Para 2017, a meta é investir cerca de R$ 2,8 bilhões.

Sobre a CPFL Energia

A CPFL Energia, há 104 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização e serviços. Desde janeiro de 2017, o Grupo faz parte da State Grid, estatal chinesa que é a segunda maior organização empresarial do mundo e a maior companhia de energia elétrica, atendendo 88% do território chinês e com operações na Itália, Austrália, Portugal, Filipinas e Hong Kong.

Com 14,3% de participação, a CPFL Energia é líder no mercado de distribuição, totalizando mais de 9,1 milhões de clientes em 679 cidades, entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, é uma das líderes no mercado livre, com participação de mercado de 14,1% na venda para consumidores finais. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres entre as comercializadoras.

Na geração, é a terceira maior agente privada do País, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis, como grandes hidrelétricas, usinas eólicas, térmicas a biomassa, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e usina solar. Considerando a participação acionária na CPFL Renováveis, maior empresa de geração da América Latina a partir de fontes alternativas de energia, a capacidade instalada do Grupo CPFL alcançou 3.258 MW, no final do primeiro trimestre de 2017. 

A CPFL Energia possui ações listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa e ADR Nível III na NYSE, além de participar do Índice Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets. Pelo 12º. ano consecutivo, as ações da companhia integram a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros, por meio do Instituto CPFL.​

Tags:
    Resultados; investimentos; 2T17; CPFL Energia; lucro; Ebitda