Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

CPFL Energia: inovação em tecnologia aumenta efetividade contra ligações irregulares

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   16/03/2017

Campinas, 09 de março de 2017 – Em linha com o que há de mais moderno em tecnologia de medidores inteligentes e o cruzamento de análise de dados, as distribuidoras da CPFL Energia – a maior empresa privada do setor elétrico brasileiro – têm conseguido aumentar a identificação de ligações clandestinas e fraudes de energia. A nova metodologia de cruzamento inteligente dos dados começou a ser aplicada em clientes do Grupo A (grandes consumidores de energia elétrica), que já possuem medidores inteligentes instalados em suas residências. Nos casos em que essa ferramenta foi utilizada, a distribuidora alcançou um índice de 90% de acerto na identificação de problemas. 

Ao longo de 2016, foram realizadas 290 mil inspeções para identificar desvios de energia elétrica. Nos clientes do Grupo A, foram 14 mil inspeções e no Grupo B (clientes residenciais), 273 mil. A iniciativa contribuiu para que as distribuidoras da CPFL Energia recuperassem 372 GWh de energia, o que seria suficiente para atender o consumo anual de 146 mil clientes residenciais. Na cidade de Bauru, foram realizadas mais de 3,4 mil inspeções no ano passado. 

De acordo com Dilson Fernando Martins, gerente de Recuperação de Receita, a perspectiva é aumentar o número de inspeções em 27% neste ano. “Nossa proposta é ampliar a ofensiva da CPFL para regularizar as ligações clandestinas e acabar com a fraude.” E acrescenta: “O uso irregular da energia traz prejuízos a todos e, por isso, colocamos nossos esforços em combatê-lo e alcançar índices de perdas não-técnicas próximos a zero”. 

Atualmente, o índice de perdas comerciais, como é chamada a energia desviada dos medidores – seja de forma intencional ou por fatores técnicos – gira em torno de 2,5% nas distribuidoras do Grupo. Este é um dos menores índices entre as distribuidoras do Brasil, de acordo com dados da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee).
Capacitação do time

A nova metodologia para desvendar as fraudes é um dos primeiros ganhos comerciais que as Smart Grids (redes inteligentes) trazem para a CPFL, unindo-se aos benefícios técnicos e operacionais propostos pela tecnologia. O método só é possível de ser aplicado, porque todos os clientes do Grupo A têm medidores inteligentes instalados. Estes medidores possibilitam acesso a dados técnicos sobre o consumo que, quando analisados e cruzados com o perfil do cliente e combinados a plataformas de inteligência artificial, sinalizam a existência ou não de um problema. Uma equipe de inspeção é destacada para fazer uma investigação no local e pode identificar se o apontamento significa uma fraude ou um problema técnico. 

Além do uso da tecnologia, a CPFL também intensificou a formação e o treinamento de 300 agentes da equipe de Recuperação de Energia que, trabalhando em conjunto a autoridades policiais, puderam regularizar ligações e impedir a prática de furto de eletricidade, considerada um ato criminoso. “Essas inspeções são realizadas em residências, comércios e indústrias. As equipes fazem uma verificação detalhada de todo o padrão de medição, inclusive eventuais desvios de energia elétrica diretamente do sistema da empresa. Também apoiamos e somos apoiados pelas autoridades policiais na identificação de casos mais complexos”, comenta Martins. “As perdas comerciais contribuem para tornar a conta de luz mais cara para todos os consumidores. O valor da energia furtada e os custos para identificar e coibir as irregularidades são levados em consideração pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), para estabelecer a tarifa de energia em cada área de concessão”, alerta. 

Furto de energia elétrica: prejuízo para todos

Considera-se furto de energia quando há uma ligação direta na rede elétrica sem o conhecimento e autorização da concessionária de energia. São os conhecidos “gatos”. Já a fraude ocorre quando o cliente rompe os lacres da sua medição e manipula o consumo no medidor de energia, com o objetivo de reduzi-lo. Ambos são crimes previstos no Código Penal e a pena é de um a quatro anos de reclusão. Também são cobrados os valores retroativos referentes ao período fraudado, acrescidos de multa. Quando a fraude ou o furto são descobertos, o responsável pode ter o seu fornecimento de energia suspenso. 

Além do impacto na conta de luz, os furtos e fraudes de energia pioram a qualidade do serviço prestado, prejudicando todos os consumidores. As ligações clandestinas sobrecarregam as redes elétricas, deixando o sistema de distribuição mais suscetível a interrupções no fornecimento de energia. A regularização destes clientes não apenas traz cidadania, como também beneficia todos os consumidores com um serviço de melhor qualidade.

Por meio do seu Programa de Eficiência Energética, a CPFL Energia promove a regularização dos clientes residenciais de baixa renda, trazendo cidadania e promovendo ações educacionais sobre o uso consciente de energia elétrica. Em 2016, o Grupo investiu R$ 5,1 milhões nesta ação, em Campinas, beneficiando 700 famílias. 

Como denunciar

Para reduzir estes riscos e o furto de energia, as distribuidoras da CPFL Energia mantém um programa constante de inspeções. A CPFL criou vários canais de denúncia para casos de fraudes e furtos, por meio dos quais é possível passar as informações sem a necessidade de identificação do denunciante. Confira a seguir:

E-mail: denunciafraude@cpfl.com.br: esse canal atende as demandas pontuais dos seguintes órgãos: Ouvidoria, Grupo “A”, Agências de Atendimento, dentre outros
Telefone: Denúncia de Furto de Energia pelos telefones 0800 721 0721 (RGE) e 0800 774 4286 (demais empresas), os clientes do Grupo CPFL conseguem denunciar as possíveis fraudes e furtos de energia
Web: www.cpfl.com, clique no banner “Serviços On-line” e em seguida entre na aba “Serviços Técnicos”. Escolha a opção “Denúncia de Furto de Energia”​​

Tags:
    Comercial; Distribuição; medidores inteligentes; smart grid; tecnologia