Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

CPFL Energia apura lucro líquido de R$ 280 milhões no terceiro trimestre de 2015, aumento de 188,5%

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   12/11/2015


Campinas, 12 de novembro de 2015 – A CPFL Energia, maior grupo privado do setor elétrico brasileiro, apurou lucro líquido de R$ 280 milhões no terceiro trimestre de 2015 no padrão contábil internacional IFRS, o que significa um forte crescimento de 188,5% na comparação com o mesmo período de 2014. O resultado do Grupo foi impactado positivamente pela expansão dos ganhos no segmento de geração (convencional e renovável) e pela melhora do resultado financeiro líquido, entre outros fatores. 

O EBITDA da companhia teve alta de 25,6% no terceiro trimestre de 2015 ante igual período de 2014, para R$ 1,08 bilhão. A geração convencional contribuiu com R$ 82 milhões para essa expansão, fruto do melhor desempenho das térmicas da Epasa e da estratégia de sazonalização das usinas do Grupo, e a CPFL Renováveis, com outros R$ 78 milhões. A distribuição acrescentou R$ 43 milhões, refletindo, entre outros itens, uma expansão das despesas gerenciáveis abaixo da inflação. 

A receita líquida do Grupo (excluindo a receita de construção) aumentou 17,5% em igual intervalo de comparação, para R$ 4,72 bilhões. Esse crescimento é resultado da incorporação dos ativos financeiros, pela expansão dos resultados da área de geração e pelo aumento das tarifas de energia das oito distribuidoras do Grupo. 

A expansão da receita líquida ocorreu a despeito da queda de 5,3% no volume de energia consumido nas áreas de concessão das oito distribuidoras do Grupo, localizadas em São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais, passando de 14,516 mil GWh para 13,749 mil GWh. As vendas do mercado cativo recuaram 5%, para 9,877 mil GWh, e o volume faturado dos clientes livres pela Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (TUSD) diminuiu 5,9%, totalizando 3,872 mil GWh. 

Na análise por classe, verifica-se que o consumo de energia dos clientes comerciais recuou 2,9% e o dos residenciais caiu 5,1%, refletindo a deterioração das macroeconômicas do País, com o aumento do desemprego, a perda de confiança dos consumidores e a diminuição da renda. O consumo industrial diminuiu 7,4%, como consequência da desaceleração da economia brasileira neste ano. 

A CPFL Energia registrou uma queda de sua alavancagem ajustada na comparação com o segundo trimestre de 2015, passando de 3,67 vezes Dívida Líquida/EBITDA para 3,46 vezes. Essa melhora reflete o forte crescimento do EBITDA da companhia. Ao final de setembro, os recursos em caixa somavam R$ 3,71 bilhões, volume 1,7 vez superior aos compromissos financeiros de curto prazo (12 meses).

Destaques do 3T15

No terceiro trimestre de 2015, a CPFL Energia investiu R$ 219 milhões em seus negócios, queda de 7% em relação aos R$ 234 milhões aportados em igual período de 2014. Do valor total, foram destinados R$ 192 milhões para o segmento de distribuição, R$ 13 milhões para os projetos de geração e R$ 13,5 milhões nas áreas de serviços e comercialização.  No acumulado dos nove primeiro meses de 2015, o valor total investimento pelo Grupo foi de R$ 931 milhões, alta de 24%.

Em outubro deste ano, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) concluiu o processo de revisão tarifária da CPFL Piratininga, resultando em alta de 21,11% na conta de luz da companhia. Os termos da revisão incluem o aumento de 5,31% da Parcela B (em relação à revisão tarifária extraordinária de março) e o repasse para a tarifa de R$ 475 milhões acumulados na conta-gráfica (CVA) da companhia.

O compromisso da CPFL Energia com o tema da sustentabilidade foi novamente reconhecido pelo mercado investidor internacional. Pelo quarto ano consecutivo, as ações da companhia foram selecionadas para integrar o Dow Jones Sustainability Emerging Markets Index, da Bolsa de Nova York. Além disso, pelo segundo ano seguido, o Grupo também faz parte do Morgan Stanley Capital International Global Sustainability Index. 

Resultados Gerenciais

A CPFL Energia registrou aumento de 21,9% da receita líquida no resultado gerencial entre o terceiro trimestre de 2015 e igual período de 2014, para R$ 4,6 bilhões. Por sua vez, o Ebtida subiu 7,6% no mesmo intervalo de comparação, para R$ 1,07 bilhão. O lucro líquido do Grupo cresceu 33,8%, para R$ 305 milhões. 

O resultado gerencial considera os ativos e passivos financeiros regulatórios, que não eram contabilizados em 2014, e desconsidera os itens não recorrentes além de consolidar de forma proporcional os ativos de geração do Grupo.

Sobre a CPFL Energia

A CPFL Energia, há 102 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização, serviços e telecomunicações. É líder no mercado de distribuição, com 13% de participação, totalizando mais de 7,5 milhões de clientes nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná.

Na comercialização, é um dos líderes no mercado livre, com uma participação de mercado de 14% na venda para consumidores finais entre as comercializadoras. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres.

Na geração, é o segundo maior agente privado do país, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis. A CPFL Geração conta com 2.248 MW de potência instalada, considerando sua participação equivalente em cada um dos ativos de geração. Em 2011 criou a CPFL Renováveis, com ativos como PCHs, parques eólicos, termelétricas a biomassa e a usina solar Tanquinho, pioneira no Estado de São Paulo, e uma das maiores do Brasil. Adicionando a participação equivalente na CPFL Renováveis, a capacidade instalada total do Grupo CPFL atingiu 3.127 MW no final do terceiro trimestre de 2015. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os 15 maiores investidores brasileiros.

A CPFL Energia tem ações listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa e ADR Nível III na NYSE, além participar do Índice Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets e do Morgan Stanley Capital International Global Sustainability Index (MSCI). Pelo 10º. ano consecutivo, as ações da companhia integram a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa.
Tags:
    Resultado; CPFL Energia; lucro; investimento