Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

 Nossa Atuação

A CPFL Energia está desenvolvendo uma nova tecnologia com o objetivo de gerar energia elétrica a partir do tratamento térmico de resíduos sólidos municipais e industriais. A nova tecnologia possibilitará um aproveitamento energético eficiente e racional das diversas correntes de resíduos gerados pela sociedade e, ao mesmo tempo, dará um destino correto para esses materiais.

O projeto compreende duas fases. A primeira delas envolve o desenvolvimento experimental do conceito de uma estação de tratamento de resíduos com geração de energia, incluindo-se uma avaliação sócia-econômica do empreendimento, o estudo de novas tecnologias de gaseificação e plasma, do impacto ambiental do projeto e de sua cadeia logística. A segunda fase implica montagem de uma unidade piloto de 2 megawatts (MW) de capacidade de geração, que permitirá um avanço significativo do desenvolvimento do conceito proposto. O projeto em como característica permitir a expansão da usina de tratamento de resíduos sólidos por módulos ou por aumento de escala.

Um ponto central do desenvolvimento do empreendimento é o estudo e domínio da tecnologia do plasma, que é uma forma especial de material gasoso que conduz eletricidade. O plasma permite a queima dos resíduos a uma temperatura que oscila entre 4 mil e 15 mil graus C, o que permite a conversão de materiais orgânicos em gás combustível (H2 e CO). Ao mesmo tempo, essa queima poderosa imobiliza, na forma de uma massa vítrea inerte, os materiais residuais inorgânicos e metais, podendo inclusive ser aproveitado como matéria prima para pavimentação de ruas e estradas.

A expectativa do projeto em desenvolvimento é de estabelecer um processo inovador no tratamento de resíduos com geração de energia, operado através de unidades de média ou grande escala no processamento de resíduos sólidos municipais, hospitalares e industriais. As tecnologias a serem adotadas neste empreendimento já estão sendo utilizadas em projetos do Japão e da Europa e faz parte do estudos realizados pela CPFL a sua aclimatação às condições específicas do lixo dos municípios brasileiros.

A planta de tratamento de resíduos sólidos associada à geração de energia elétrica terá vocação para atender a consórcios de municípios. A expectativa é a de que a planta possa funcionar em sintonia com projetos de logística reversa e reciclagem, de forma a dar uma destinação econômica a parte dos resíduos, deixando para a queima somente o material que não pode ser reaproveitado.